Estatísticas de inadimplência: faça a cobrança dos seus clientes da forma correta

A inadimplência é um fator muito perigoso, principalmente quando não controlado. Veja aqui como observar e realizar as melhores ações para solucionar este problema!

por Lays Xavier
Estatísticas de inadimplência: faça a cobrança dos seus clientes da forma correta

A inadimplência é um fator muito perigoso para as empresas, principalmente quando não controlado e mensurado.

Isso é afirmado, pois não saber quanto cobrar do cliente, como anda a receita da sua empresa e qual a previsibilidade de recebimento, encaminharão o gestor a passos largos para o fim.

Sabendo disso, é necessário estar atento ao que acontece no mercado.

Para entender mais sobre o assunto e receber dicas de como lidar com a essa situação, continue a leitura!

Ter um controle financeiro já é fundamental para as empresas saudáveis em tempos de aquecimento de mercado. Quando chega o momento de crise, a prioridade de atenção para o financeiro, dobra.

Segundo o site Agência Brasil, a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) de dezembro de 2020, apontou que 66,3% dos consumidores estão endividados, uma alta de 0,3 ponto percentual com relação a novembro. No comparativo anual, o indicador registrou aumento de 0,7 ponto porcentual.

Isso mostra a dificuldade vivida pelas empresas que deixam de ser prioridade para o consumidor e devem realocar os seus recursos, na intenção de se manter competitiva e ativa no mercado.

Uma pesquisa realizada pelo Serviço Central de Proteção ao Crédito (SPC), estabeleceu o valor das parcelas e a razão geral pela qual os consumidores ficam inadimplentes, sendo:

  • 29% do consumidores possuem dívidas entre R$ 501,00 e R$ 1.000,00;

  • 19% na faixa de R$ 301,00 e R$ 500,00;

  • 12% em valores de até R$ 300,00.

No caso dos débitos de maior valor, geralmente eles são explicados pela participação crescente do financiamento de veículo e crédito imobiliário, sendo:

  • 15% estão na faixa de R$ 1.001,00 a R$ 1.500,00;

  • 10% na casa dos R$ 1.501,00 a R$ 3.000,00;

  • 15% na faixa superior a R$ 3.000,00.

Como resposta a pesquisa, a ideia sobre a renegociação das dívidas, apresentou que 79% destes usuários não estão dispostos a pagar parcelas maiores que R$400,00 para ficar em dia com seus débitos.

Baseado nesses dados e em pesquisas internas, separamos algumas dicas para auxiliar na diminuição da inadimplência, confira a seguir!

Conheça o seu financeiro

As ferramentas de controle financeiro devem ser comuns ao dia a dia do gestor e é importante que ele tenha noção do que esteja acontecendo, ainda que possua responsáveis para cuidar dessa área.

Para o acompanhamento, são necessárias ferramentas como:

  • Controle de caixa;

  • Fluxo de caixa;

  • Controle bancário;

  • Controle de contas a receber;

  • Controle de contas a pagar;

  • Controle de estoques.

Entre outros controles que devem ser estabelecidos de acordo com as necessidades do seu negócio.

A chave para controles precisos e eficazes são os lançamentos atualizados e corretos. Anote toda a movimentação financeira, seja em planilha ou em um sistema, o importante é não deixar nada passar.

Para facilitar a sua gestão confira a seguir moldes de planilhas para:

Assim, será possível fazer o lançamento e acompanhamento de boa parte de suas movimentações, trazendo mais saúde e longevidade ao seu negócio.

É interessante pensar que o acompanhamento por planilhas necessita de muita disciplina para a realização dos lançamentos e, a partir do momento que os números aumentam, é mais eficiente contar com um sistema de gestão automatizado.

O uso da automatização permite encontrar mais informações sobre o cliente, acompanhar os dados de forma compilada e facilita também a visualização de relatórios. Além de evitar erros causados por ação humana devido às altas demandas e pouco tempo de conferência.

Uma vez que os controles financeiros estejam em dia, você poderá acompanhar melhor informações como:

  • Previsibilidade de qual valor estará disponível para fazer melhorias e investimentos em seu negócio?

  • Quais são os fornecedores que devem ser pagos e quando?

  • O que deve ser providenciado para o seu estoque?

  • Quais dos seus produtos ou serviços tem sido mais atrativos?

  • Quanto sairá e quando entrará no caixa da empresa em períodos preestabelecidos?

Essas informações permitem que sejam traçadas estratégias para a melhoria do negócio. Também é possível observar o nível de criticidade em que a sua empresa se encontra.

Uma vez que o controle esteja em ordem, você poderá seguir algumas dicas de cobrança para tentar sanar o problema de inadimplência e retomar a saúde de seu negócio.

Cobre da forma correta e controle a inadimplência

Deve ser considerado que de um modo geral os clientes, ao contratarem um serviço, estão numa condição favorável, desejam realmente fazer a utilização e fazem planos de pagar por ele. As pessoas não costumam fazer a contratação, já na intenção de ser inadimplente.

Porém, em todo caminho existem percalços, e muitas vezes o cliente não consegue arcar com o compromisso feito junto a empresa, ou simplesmente, pela baixa expectativa e desejo de um cancelamento, deixam de realizar os pagamentos.

Entenda o que levou o cliente a inadimplência

Baseado no histórico do cliente junto ao seu negócio, são perceptíveis alguns indícios, como:

  • É comum o cliente pagar em atraso?

  • Os pagamentos eram realizados de forma regular até então?

  • A quanto tempo o seu serviço é utilizado?

  • Houve reclamações antes do cliente se tornar inadimplente?

Observando alguns dados, é possível entender melhor sobre o comportamento do cliente e contatá-lo com a abordagem correta que encaminhará para uma negociação bem sucedida.

Entenda a dor do cliente no momento, estabeleça junto a ele um novo acordo para o pagamento das dívidas.

Os clientes que pagam de forma regular e possuem um bom relacionamento com a empresa, em sua maioria, querem resolver o problema e estão dispostos a negociar.

Já os consumidores mais complicados, precisam de abordagens mais incisivas e um acompanhamento mais direto.

No momento de identificação da inadimplência, contate o seu cliente. Não espere se tornar uma bola de neve, ou seja, uma dívida de valor muito alto para saber o que aconteceu. Acompanhe desde o ínicio.

Faça registros dos contatos realizados, para que as cobranças sejam mais assertivas e seu empresa não se torne apenas um grande inconveniente para o consumidor. Uma dica para esse acompanhamento é a cada novo contato, registrar informações como:

  • Nome do contato;

  • Cargo;

  • Data do contato;

  • Motivo do atraso;

  • Data negociada;

  • Acordo verbal.

E sempre repasse por e-mail pedindo a confirmação da pessoa contatada o que foi estabelecido, para ter o registro de todo o processo.

Tenha o controle de quem está inadimplente

Você só conseguirá entrar em contato no começo do processo caso saiba quem deve contatar. Ou seja, é necessário estar continuamente observando a evolução dos recebimentos para conseguir agir rapidamente quando surgir um atraso persistente.

Como já dito anteriormente, a partir do momento que existe uma grande quantidade de clientes, contar com a automatização dos recebimentos pode facilitar bastante esse controle tão Tenha um plano de ação

Saiba como agir

Uma vez que a inadimplência foi identificada, é necessário ter um passo a passo sobre o que fazer, para criar uma padronização nas cobranças e colocar em prática o que é mais eficiente.

As empresas são mais bem sucedidas quando seguem um plano de cobrança aplicado por toda a equipe.

Caso o cliente devedor, mesmo após estabelecer uma negociação, ainda não arque com seus compromissos, outras medidas mais incisivas devem ser tomadas.

O plano de cobrança deve ser feito de acordo com os processos internos da sua empresa, seguindo o que faz mais sentido para este momento.

Para cada etapa, defina um prazo e, caso a expectativa não seja cumprida, passe para a seguinte, de forma que cada vez mais seja direto e incisivo. Analise a postura do contatado, se ele tem boas intenções ou se ele já demonstra a intenção de não realizar o pagamento.

Faça acordos

Tenha em mente que às vezes, receber o valor parcialmente é melhor do que não receber.

Um acompanhamento eficiente da jornada do cliente junto a sua empresa, a identificação rápida da inadimplência e outras questões podem facilitar a realização de acordos e o recebimento dos serviços.

Esteja sempre em dia com o acompanhamento do seu fluxo de caixa e esteja ciente da trajetória de seus clientes inadimplentes.

Utilize um sistema de automatização

Um sistema automatizado possibilita a percepção dos problemas ainda no início. Os clientes inadimplentes são exibidos em destaque ou separadamente. Há também a possibilidade de cadastrar os lembretes que deverão ser enviados e estipular o tempo de atraso para o envio.

As cobranças ficam muito mais facilitadas e corretas, visto que é só fazer o cadastro inicial e deixar o sistema fazer os envios das contas, a baixa dos pagamentos e a exibição dos atrasos.

O Galax Pay é um exemplo de sistema para cobrança automatizada recorrente. Seu uso permite que a cobrança seja feita nos dias acordados, sem intervenção humana de realizar o envio todo mês, além de possibilitar a personalização da mensagem enviada para o cliente.

Além de permitir que os inadimplentes sejam identificados de forma mais rápida, o uso da cobrança recorrente permite que a empresa tenha mais previsibilidade com seus clientes.

Para saber mais sobre as vantagens e como adquirir este sistema, fale com um especialista.

Receba o contato de um especialista

Autor

Lays Xavier

Produtora de conteúdo, sonhadora e inspirada. Cursando Publicidade e Propaganda, vive atrás de referências na busca de produzir conteúdos cada vez mais relevantes e atrativos.
Engajada em cursos online, sabe que o conteúdo nasce do conhecimento e por isso, está constantemente atrás de novas oportunidades para adquiri-lo.

Outros posts feitos por Lays Xavier

Deixe seu comentário