5 dicas para manter a saúde financeira empresarial

A saúde empresarial muitas vezes é negligenciada por não ser acompanhada de perto. Veja 5 dicas para que isso não aconteça!

por Lays Xavier

A saúde financeira está relacionada diretamente com o controle do que acontece em uma empresa.

Deixar as coisas irem acontecendo e tomando decisões imediatistas, sem nenhum controle da situação é muito perigoso.

Isso porque o financeiro é um dos pilares para o crescimento e expansão de uma empresa.

Quando tudo apenas acontece, sem planejamento, sérios riscos são ignorados e em um momento, a sorte pode não estar mais ao seu favor e acontecerem eventos que não estavam
previstos.

Para entender melhor sobre o controle e a saúde financeira de sua empresa, continue a leitura. As 5 dicas a seguir, vão te auxiliar na recuperação do seu controle financeiro empresarial.

1. Acompanhe o Fluxo de caixa

O Fluxo de caixa é importantíssimo para todas as empresas, já que através dele, é possível ver qual a real situação financeira.

Há quem ache o sistema muito simples e acaba o negligenciado, por julgá-lo como algo supérfluo ou muito simples. Ainda que o sistema seja basicamente para controlar entrada, saída e saldo, é necessário estar atualizado e ser visto bem de perto.

O valor disponível, o saldo positivo ou negativo e, até mesmo previsões podem ser realizadas com a observação do Fluxo de caixa.

O acompanhamento do Fluxo de caixa permite observar baixas contínuas ou aumentos frequentes, permitindo que a empresa comece a conseguir se planejar em relação a sua estratégia de mercado e seus investimentos.

2. Analise o Contas a Pagar e receber

O Contas a Pagar e receber anda junto ao Fluxo de Caixa. Ele é um planejamento em relação a despesas e recebimentos futuros, assim fica mais simples ter previsibilidade em relação a gastos e ganhos.

A observação destes números é necessária para ter um indicativo de como a empresa trabalhará no futuro.

3. Tenha um Capital de giro

O Capital de giro é o valor destinado a uma reserva de recursos que serão utilizados para suprir as necessidades financeiras da empresa ao longo do tempo.

É importante que o Capital de giro seja gerado com os resultados da própria empresa, já que ele ficará em movimentação constante, não podendo ser devolvido ou destinado a outros investimentos.

O valor que deve ser disponibilizado pelo Capital de giro vai variar de acordo com o segmento, o porte, as características e os objetivos de cada empresa. Além disso, esse valor poderá ser modificado com o passar do tempo.

4. Crie um Fundo reserva

Ainda seguindo a linha de pensamento de previsibilidade e planos de ação para os imprevistos, o fundo reserva pode ser um diferencial em tempos de recessão ou no caso de acontecimentos atípicos que afetem o seu negócio.

Estipule um valor a ser guardado mensalmente de forma que a empresa fique protegida de situações inesperadas, como o acerto de funcionários de forma repentina, crises no mercado, abertura de concorrência inesperada e outros.

5. Faça um planejamento

O planejamento, não significa que a empresa fará exatamente o que está proposto nos anos que se seguem, de forma imutável e sim, que a empresa terá um direcionamento a seguir.

Nessa fase serão definidos os objetivos, observadas as dicas já citadas, feitas as alterações necessárias, estabelecidos alguns parâmetros de gastos, consumos e recebimentos, estipulação de gastos pequenos e mais.

Dica extra:

Todos estes processos precisam ser feitos, avaliados e acompanhados de perto.

Deixar que as finanças fluam, sem acompanhamento pode impedir que problemas pequenos sejam resolvidos antes que se tornem grandes.

O uso de aplicativos, plataformas e sistemas, podem auxiliar realizando a otimização e tornando o seu negócio mais simples de acompanhar.

Um sistema de gestão financeira interessante, por exemplo, é o Galax Pay. Através dele é possível acompanhar em tempo real as transações que são recebidas, gerar relatórios detalhados sobre a movimentação das cobranças entre muitos outros requisitos.

O Galax Pay também facilita o pagamento do cliente, possibilitando o recebimento por boleto bancário ou cartão de crédito de forma recorrente. Ou seja, as cobranças podem ser cadastradas uma única vez, voltando a ser cobrada pelo tempo determinado pelo gestor.

Os boletos gerados, são lançados no sistema assim que pagos, sem a necessidade de mandar e pedir arquivos dos bancos.

Todo o processo de cobrança pode ser visto em uma tela, facilitando o acompanhamento do que foi recebido e do que se tem a receber. Realizar os lançamentos e ter previsibilidade do seu negócio, pode ser mais simples assim.

Fale com um especialista e saiba mais.

Receba o contato de um especialista

Autor

Lays Xavier
Marketing
Produtora de conteúdo, sonhadora e inspirada. Cursando Publicidade e Propaganda, vive atrás de referências na busca de produzir conteúdos cada vez mais relevantes e atrativos. Engajada em cursos online, sabe que o conteúdo nasce do conhecimento e por isso, está constantemente atrás de novas oportunidades para adquiri-lo.
Outros posts feitos por Lays Xavier
Comentários:
Onde estamos
Rua Platina, 1375, 2º andar, Bairro Prado, Belo Horizonte / MG
Ver no Mapa